segunda-feira, 3 de junho de 2013

trocados de amor

Foi desse jeito: eu acordei de manhã, e, ainda coçando os olhos, vi ele a minha frente, com as mãos escondias atrás do corpo e dizendo: "fecha os olhos, tenho uma surpresa". Bem manhã de natal. Como fechados ainda estavam, praticamente, meus olhos, estendi a mão e toquei aquele objeto. Era um presente.

Pirei. Chorei. Sorri. Não era bem o presente, sabe. A coisa. O material. Era tudo que ele representava para mim. Seis meses atrás eu tive um dos dias mais tristes da minha vida, onde chorei compulsivamente enquanto engolia travesseiro e ódio. Me sentia burra e infeliz. Passou. E eu segui valorizando mais a vida, a presença das pessoas, os sentimentos e as coisas que não podemos comprar. E, pra ser sincera, se eu soubesse antes que pra sentir a felicidade tão grande que tive nessa manhã eu precisava ter chorado tanto aquele dia, eu juro: queria ter sofrido mais. Porque é sempre mais feliz assim. Como o calor que precisa do frio pra ser mais quente e o céu precisa do cinza pra ser mais azul, o riso sempre precisa do choro pra ser mais alegre.

Só digo a vocês que me encanta, cada vez mais, a sensibilidade da pessoa, a única no mundo, que sabia de verdade o que aquilo representava para mim. Quando ele falou "Agora vai parar de pensar nisso todo dia?", senti meu disfarce de durona desabar e meu peito encharcar de amor. Amor imenso no coração e felicidade na ponta do dedo.

Levem de mim todo o dinheiro do mundo.
Mas me deixem, para sempre, com uns trocados desse amor.

Um comentário:

  1. Luana;

    Amei essa sua frase: " Levem de mim todo dinheiro do mundo. Mas deixem, para sempre, com uns trocados desse amor"
    Lindo!
    Você tem o lirismo na alma!

    Haydèe Ferreira
    www.haydeeferreira.com.br.
    haydeeferreira.blogspot.com
    haydee.ferreira@gmail.com

    ResponderExcluir