quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A Renata que eu já fui

Eu ia ler, juro. Mas minha mãe - que decidiu ler o mesmo livro que eu ao mesmo tempo, oi? - acabou de apoderar-se do meu livro e tá ali jogada no sofá. Só me resta escrever besteira. E hoje é besteira com todos os B's. Tanto blog sendo trucidado por ai, e eu com a cara e a coragem venho aqui falar de BBB.

O caso é Renata X Monique X Jonas. Não vou perder muito tempo explicando, porque né, quem não gosta do programa parou de ler ali pela terceira linha. Tenho muitas posições sobre muitas coisas que acontecem ali naquela casa, mas me chamou atenção o meio triângulo amoroso, simplesmente porque põe à tona e confirma uma história que eu soube desde sempre: homem não briga por mulher, mas mulher só vive no puxão de cabelo por causa de homem.

Ok, vamos a questão. Jonas ficava (ficou?) com a Renata nos primeiros dias de confinamento. Daí depois abusou a 'princesinha' - porque né, com aquela voz farinhenta quem não? - e saiu dizendo aos quatro ventos que beijá-la era como lamber um cinzeiro. A guria tomou altos tocos do mister, bebeu todas, chorou, disse até que queria sair da casa - ai ai, o que um amor não correspondido não faz. Loka de pedra de deixar 1 milhão pra tras. Ressentida, a coitada SÓ falava em Jonas o dia inteiro, e, opa, cometeu um erro que qualquer mulher mal amada esta sujeita: cogitou a possibilidade dele ser gay.

Pois bem, ai Renata começou a partir pra outra: um chove-não molha danado com o Ronaldo (xispa, elimando). Nada rolou, mas nesse meio tempo a loira chega pra Monique e diz 'se quiser ficar com Jonas, ok. até me ajuda'. Monique, que não é besta nem nada, agarrou o mister mais sem sal do mundo.


não chora, filha. a gente já passou por isso

Ai Ronaldo é eliminado, e Renata, que na verdade nunca esqueceu Jonas, começa a dar em cima dele deeee noooovo. Monique faz o que? Fica puta, lógico. A amiga tinha dado sinal verde, elas viviam de papinho - Até Bial chegou a dizer que adorava ver as armações da dupla - e agora ela faz o que? Leva o mister pra dormir com ela no quarto do líder e no outro dia chega na Monique com a cara mais limpa do mundo.

Monique não perdeu nenhum segundo e já tava la no quarto com os amigos falando de quem a pouco tempo atrás era a 'Rê'. Fez caras e bocas imitando os trejeitos da 'colega', p da vida porque perdeu o loiro. E o melhor de tudo é que Jonas não quer ninguém, tá ali só pra avacalhar. Mulé é muito burra mesmo.

Pra piorar as coisas, Renata chama Monique pra uma conversa onde a morena expos a quebra de confiança e blablabla e a Renata faz a cagada final: chama Jonas, pros 3 discutirem lindamente a relação. Pelamor, Renata tem o que, 12 anos? "A gente não sabia que ia ficar ontem, nera Jonas?". Sinceramente? Merecia três tabefes pra largar de ser égua. Quando Monique sai da conversa, ela ainda olha pro loiro e diz 'e a gente, fica como?". E ainda prosseguiu contando mil coisas, que se aproximou de outro cara pra esquecer ele e outras vergonhas alheias, sem Jonas perguntar absolutamente NADA. Tomou na cara quando ele disse 'podemos continuar ficando, mas nada de grude". Jonas, esquece. Renata é um chiclete ploc.

Por que estou contando tudo isso? Porque vejo na Renata alguém que eu ja fui um dia. Ok, com 15 anos, mas quem nunca? Quem nunca parou de fumar pra conquistar um cara? Ou brigou com a amiga por causa de alguém que jurava ser seu grande amor? Ou tomou porre chorando horrores e dizendo que era muito burra e ia esquecê-lo mas passava 24 horas por dia criando situações pra encontrar, ver, e quem sabe ficar com ele só mais uma vez?

É vergonhoso, eu sei. Mas todo mundo já foi Renata nessa vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário