domingo, 27 de março de 2011

Domingo, brownie e pastel



Todo domingo é a mesma coisa: acordo tarde, almoço com a mamãe e fico esperando o Maurício chegar pra descobrir que nossos planos são simplesmente não fazer nada de útil. Cada um se esparrama num sofá, às vezes vemos um filme, noutras falamos da vida - nossa e das dos outros.

Pra quebrar essa rotina altamente exaustiva do domingo, resolvi me permitir uma aventura gastronômica na cozinha da mamãe. Com Céu e Arnaldo Antunes rolando no som, e munida de chocolate, trigo, manteiga, açúcar e oustros ingredientes, me aventurei em uma receita de brownie simples que pesquei na internet, num desses sites tipo, vovó palmirinha. (sim, eu acesso)

Não pensem que foi fácil acertar o ponto entre um bolo fofinho e um brownie suculento. Vasculhei várias páginas na net em busca do verdadeiro segredo do brownie e fiquei assutada ao encontrar tantas variedades e dicas. Cozinheiras expert afirmavam que o grande lance era tirar a delicinha do forno quando espetasse um palito e ele viesse sequinho. Outras blogueiras apostavam no palito com massa - garantia de um bolinho mais molhado, como condiz a um brownie verdadeiro. Há até quem indique fazê-lo em banho-maria, mas aí já era ter que esperar demais.

Na dúvida, apostamos mesmo foi em pedacinhos de chocolate em barra meio amargo, salpicados sobre a massa. Também derreti chocolate com creme de leite e manteiga, pra fazer a calda. E, acreditem: ficou uma D-E-L-Í-C-I-A.

Depois de tanto doce, veio a vontade suplicante de algo salgadinho. Ai a mamãe deu a ideia de pastel, que é fácil, rápido e muito gostoso.Inventei deliciosos pastéis de pizza, que se resumiam a recheio de queijo, presunto e orégano - mas o que vale é a intenção, gente.

Queria ter fotografado toda essa nossa fartura dominical, mas, acreditem, namoro um fotógrafo que anda sem câmera. Ah gente, domingo é dia santo, vamos lá, esqueçam a profissão. A dona do celular com câmera razoável, infelizmente, não chegou a tempo de pegar os pastéis antes de serem devorados por nós.

Comemos tudo, até espocar, e acho que vou ficar em jejum pelos próximos 3 dias para desencargo de consciência. O resultado da minha experiência na cozinha foi um braço doendo (sim, minha mãe não tem batedeira. O jeito foi mexer a massa do brownie a mão) e até um elogio da sogra com o bom e velho "já pode casar".

Terminando a comilança, eu e Maurício arrumamos esse blog pra ficar menos cegante do que estava. E esse post é só pra estrear o template novo mesmo. Até breve ;)

Um comentário: